É sabido que a carga tributária no Brasil é uma das maiores do mundo, mas o que não se sabe é o porquê desse absurdo. O brasileiro pagou R$ 550 bilhões em impostos em 2009, conforme "Impostômetro". Dessa forma, presumo que quanto mais se trabalha, mais se paga impostos! É um ciclo vicioso... Às vezes, me pergunto se a improdutividade não apresentaria algumas benesses ou nos mataria de fome por completo. Fome Zero? Um contra-senso! Taxa, tarifa, contribuição ou tributo... É o pensamento do dia ou de todas as horas? Lembro-me ainda criança meus pais comentarem o pagamento de tributos diretos e indiretos... Definhamo-nos no saber por não sabermos ou estamos acomodados? É vexatória, indigna, desrespeitosa a forma de como somos tratados, por isso a minha manifestação, esperando que iniciativas como essa sejam ainda mais presentes na pauta do brasileiro. Este espaço foi criado para comentarmos, trocarmos idéias, reivindicarmos, denunciarmos e até elogiarmos os serviços públicos e privados.

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Ignorância, o maior preconceito!

A inegável popularidade do Clodovil Hernandes o elegeu a deputado federal mais votado em São Paulo. E muitos fizeram caretas, até eu! Afinal, ele sempre foi uma figura polêmica e encrenqueira, mas devemos apoiar as boas idéias.
Em julho de 2008, Clodovil apresentou à Mesa da Câmara uma proposta de emenda a Constituição (PEC) para reduzir o número de deputados de 513 para 250 parlamentares.
E claro, não passou por interesses óbvios!
Fui pesquisar o custo de cada parlamentar brasileiro e fiquei de queixo caído.
O custo de cada deputado é de R$ 6,6 milhões e, de cada senador de R$ 33,1 milhões por ano. Dessa forma, se a emenda do Clodovil passasse teríamos uma economia de aproximadamente R$ 3,1 bilhões de reais!
Simplesmente essa quantia multiplicaria a verba hospitalar, tão decadente, por mais de 26 vezes!!!

Magistrados entregam prêmio ao MST

Sabem o que isso significa?
Que perdemos definitivamente o leme, estamos à deriva!


Conforme o e-mail que recebi de um amigo e que concordo, utilizando-me inclusive de suas palavras...
Homenagear o movimento é endossar os seus métodos, também os seus crimes. Como se não bastasse, a pose do rapaz ao lado de Kenarik ostentando a camiseta com a palavra “Cuba”. Cuba é aquele país em que a oposição está na cadeia, onde a tortura a presos é, na prática, uma política de estado.

Kenarik, em sua sede implacável de justiça, não se constrange em aparecer nesse retrato, como se vê. Não custa lembrar que o decreto dos Direitos Humanos, em defesa do qual ela escreveu, extingue, na prática, a propriedade privada e cria uma categoria acima dos juízes.

Destaque na revista Veja enviada por amigos que colaboram com o blog "Quem Responde".
E há resposta?

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Quanto vale um sonho?

Enquanto os grandes discutem o homicídio nas regiões metropolitanas em proporção ao crescimento populacional, tornando-o ínfimo e desprezível estatisticamente, o ser humano padece...
Padece de cuidados, padece de atenção, padece de respeito ao direito a vida.
Alcides do Nascimento Lins, o filho da catadora de lixo que estava prestes a se formar na faculdade de biomedicina, é o grito que não quer calar, é o Brasil pleiteando um lugar ao sol, é o resgate à dignidade.
Quantos "Alcides" ainda sobreviverão a ganância dos homens que ditam leis, mas não garantem a segurança e, a cidadania?

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Quero, mas não deixam!

Ontem, li uma matéria muito interessante de Fernanda Dutra, abalizando que 86% dos estudantes matriculados em 2006, não concluíram o ensino médio no prazo previsto de 2008 e que muitos ficaram no meio do caminho por diversos fatores, dentre eles a dificuldade no aprendizado e a desmotivação em si. Bem, resta saber se essa pesquisa foi feita apenas na rede pública de ensino. O mais provável é que o mal tenha se alastrado simplesmente por uma questão óbvia, o sistema educacional não acompanha o novo modelo social, ele é obsoleto, cheio de ultimatos e de uma cultura inútil sem prerrogativas!
Cito exemplos mesmo em nível de ensino superior de uma rede privada, almoçando ao lado de uma Universidade e acompanhando a rotina dos meus filhos, o que condiz a milhares de jovens batalhadores que norteiam o mercado de trabalho e tem filhos pequenos, verdadeiros HERÓIS e não os nomeados pelo apresentador do BBB - Big BOSTA Brasil.
Esses jovens estudantes são sobrecarregados por atividades extra-sala, extracurriculares obrigatórias, muitas vezes sem acréscimo educativo, fazendo com que muitos deles não consigam atender a demanda de exigências por disciplina, causando esgotamento cognitivo, desinteresse e frustração. E ainda paga-se por isso!
Não adianta equipar as Instituições de Ensino com máquinas de ponta e computadores de alta definição, se não houver uma profunda conscientização  por  uma REFORMA no Sistema Educacional.