É sabido que a carga tributária no Brasil é uma das maiores do mundo, mas o que não se sabe é o porquê desse absurdo. O brasileiro pagou R$ 550 bilhões em impostos em 2009, conforme "Impostômetro". Dessa forma, presumo que quanto mais se trabalha, mais se paga impostos! É um ciclo vicioso... Às vezes, me pergunto se a improdutividade não apresentaria algumas benesses ou nos mataria de fome por completo. Fome Zero? Um contra-senso! Taxa, tarifa, contribuição ou tributo... É o pensamento do dia ou de todas as horas? Lembro-me ainda criança meus pais comentarem o pagamento de tributos diretos e indiretos... Definhamo-nos no saber por não sabermos ou estamos acomodados? É vexatória, indigna, desrespeitosa a forma de como somos tratados, por isso a minha manifestação, esperando que iniciativas como essa sejam ainda mais presentes na pauta do brasileiro. Este espaço foi criado para comentarmos, trocarmos idéias, reivindicarmos, denunciarmos e até elogiarmos os serviços públicos e privados.

domingo, 2 de maio de 2010

O coração do Flamengo

                                        


Quem me conhece sabe que mesmo na região metropolitana do Rio, sou apaixonada pelo bucólico, ou seja, o que sobrou do Rio antigo, presente no Cosme Velho, Santa Teresa, Catete, Glória e centro da cidade. Os bairros de Ipanema, Leblon e Barra da Tijuca não me enchem os olhos, apesar do status.
O Castelinho do Flamengo, hoje, Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho, com sua torre gótica é um dos projetos arquitetônicos mais interessantes a serem vistos em plena luz do dia, no meio à modernidade dos grandes prédios, onde princesas e bruxas coabitam harmoniosamente como num conto de fadas.
Há pouco tempo foi concedido a esse maravilhoso patrimônio, o direito às artes, uma briga antiga, já que cultura nesse país é um palavrão, necessitando das iniciativas privadas e muita força de vontade das associações de moradores para mantê-lo de pé!
O sarau das artes é um incentivo ao talento, uma tentativa de promover a democratização da cultura.
A casa, embora pouco divulgada pela Secretaria Municipal, tem seu acesso inteiramente gratuito em todos os eventos; abraça exposições, debates e encontros com a música e a poesia.

3 comentários:

  1. Lucinha
    Grande sacada transformar o Castelinho do Flamengo num espaço cultural.Tudo a ver.Eu como carioca,embora não morando no RJ, só posso me sentir feliz com isso, até porque, pelo que me lembre, esse monumento arquitetônico ficou fechado,jogado às traças, por um bom tempo.
    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. É verdade, Ricardo!
    A casa serviu de residência para os moradores de rua e prostitutas por muitos e muitos anos, criando assim a fama de "Castelinho das Bruxas".
    O projeto de restauração do monumento visaria dividir o acervo já existente na Oficina Literária Afrânio Coutinho para esse espaço, já que não há mais condições de guardar uma biblioteca de 100 mil volumes.

    ResponderExcluir
  3. Adoro o Castelinho. Santa Teresa então...tão abandonada e precisando de um gás e tanto!

    ResponderExcluir