É sabido que a carga tributária no Brasil é uma das maiores do mundo, mas o que não se sabe é o porquê desse absurdo. O brasileiro pagou R$ 550 bilhões em impostos em 2009, conforme "Impostômetro". Dessa forma, presumo que quanto mais se trabalha, mais se paga impostos! É um ciclo vicioso... Às vezes, me pergunto se a improdutividade não apresentaria algumas benesses ou nos mataria de fome por completo. Fome Zero? Um contra-senso! Taxa, tarifa, contribuição ou tributo... É o pensamento do dia ou de todas as horas? Lembro-me ainda criança meus pais comentarem o pagamento de tributos diretos e indiretos... Definhamo-nos no saber por não sabermos ou estamos acomodados? É vexatória, indigna, desrespeitosa a forma de como somos tratados, por isso a minha manifestação, esperando que iniciativas como essa sejam ainda mais presentes na pauta do brasileiro. Este espaço foi criado para comentarmos, trocarmos idéias, reivindicarmos, denunciarmos e até elogiarmos os serviços públicos e privados.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Na direção de nossas vidas...















Desembolsar mais de R$ 5 milhões dos cofres públicos para a compra da “ferramenta de trabalho” para os 51 vereadores da Câmara Municipal foi o maior desplante, para não dizer projeto CARA DE PAU, já visto na história nesses últimos anos!
Assim como a maioria, estou tentando digerir a idéia inescrupulosa, delírio de um lunático em estado grave, muito grave.
Camisa de força nele!
Enquanto os desabrigados pelas chuvas ocorridas recentemente em toda a parte do Brasil, tentam recuperar as sobras das sobras, sonhos levados pelas impiedosas águas de verão, onde as sensações de vazio e do vazio permutam na tentativa de tirar-lhes o ar, tamanho é o desalento pela perda dos seus entes, irreparável custo humano...
O cinismo, a insolência daqueles que, como obrigação deveriam oferecer-lhes a Ferramenta, a legítima, na reconstrução de suas vidas, acolhê-los e protegê-los, assim como aos demais na qual me incluo, uma sociedade igualitária cuja dignidade faz-se com esforços na dinamização de investimentos, arrecadação de tributos destinados as benfeitorias na saúde, habitações seguras, vias públicas e órgãos que atendam as necessidades de todos...
Eles preferem o conforto de um Jetta!
Orgulhar-me-ia de um parlamentar coberto de lama e lápis em punho...
Sonho meu pensar que tudo poderia ser diferente, delírio de uma lunática em estado grave, muito grave que paga seus impostos.
 Camisa de força nela!

terça-feira, 10 de maio de 2011

Um dia de Cisne



Tem de ser muito artista para passar nas portas giratórias das agências bancárias sem se estressar.
Pensei no produto americano, só pode vir de lá!
Desculpem a abordagem nos temas comuns, mas é que sou mais uma sobrevivente das anedotas vis das mentes que criam ondas de calor e nos induzem a tirar peça por peça num total frenesi.
Em um dado momento, procuro metais no meu corpo...
Lembro-me de uma correntinha que ganhei aos 15 anos, fininha, quase imperceptível, mas que se tornou alvo de discussão na porta travada por brutamontes. Do outro lado a torcida, “tira, tira , tira...”
Se eu fosse exibicionista teria mostrado a minha rendinha branca em alto relevo, no entanto achei mais conveniente acenar para o meu gerente, no intuito de que ele me tirasse daquela situação vexatória em que me encontrava e não absolutamente, a  minha lingerie!
 E ainda fala-se de segurança!
Constrangimento moral e grosseria são comportamentos que assimilamos desse procedimento falho para com os clientes todos os dias. Dessa forma, sou mais uma a endossar a necessidade premente de um treinamento rigoroso aos profissionais de segurança, para que se faça presente um tratamento respeitoso as pessoas.

Política Saúde

Há iniciativas que devemos tirar o chapéu, como o caso da Academia da Terceira Idade, não importando quais interesses veiculados.

Não sei exatamente quem são os idealizadores do projeto, sei apenas que ele vem abrangendo uma boa parte do território brasileiro em parceria com a Prefeitura e Secretaria Municipal de Saúde. O programa visa minimizar os problemas decorrentes da idade, propiciando melhoria na qualidade de vida: Saúde & Sociabilidade.

No Rio, o projeto já atende mais de seis mil usuários e a estimativa é de que atinja a marca dos 80 até 2012.

Entendo que na política a auto-promoção é o fator predominante na verdadeira "esteira" do tempo, mas diante da motivação dos idosos, daqueles que muito contribuíram para o crescimento do nosso país, faço vista grossa.

Quero é que se faça mais e mais em nível de benesses  à população, prometo não me ater a detalhes; a minha alienação consciente agradecerá os bons ventos!